sexta-feira, 4 de março de 2016

no ver-só do olhar ...

A experiência de ser-no-mundo é a experiência, antes de tudo, da linguagem … este é o modo dele vir a ser ao ser, linguagem. Conhecê-lo é ter em si, e para si, no modo próprio de cada ser-no-mundo, seus signos e o relevo semântico de suas articulações. Mais, o ter em si, aqui, é necessária contra-parte do dar. É na troca, no compartilhamento entre mundo e ser-no-mundo, que surge a fala. Talvez ... esta fala. Fala disso mesmo. E é disso que tratam essas imagens capturadas, ou antes projetadas pela alma de quem nelas vê. Esforçar-se por olhar e ver, e atentar para o que no verso do olhar o mundo gestou e, na experiência do ver-, fruir o modo do despertar ... da fala.


*(da série 'No Ver- do Olhar')