quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

... faz-me ouvir

Ensina-me o que desejando ignoro. Mostra-me o que escapa à vista, ainda que olhe. Faz-me ouvir a nota que ouço faltar! O tempo passa, apressadamente passa. O agora, já foi... passou! E o que ele disse para o momento seguinte transcende o que temporalmente se conta? Neste ritmo até o futuro é passado! O que vem, já foi! O que há de novo debaixo do sol?